Elis Regina Pimentinha


O CASAMENTO DE ELIS & BÔSCOLI

O jornalista Ronaldo Bôscoli, primeiro marido de Elis Regina, trabalhou muitos anos na revista Manchete. Quando se casou com Elis, ele resolveu contar como foi o casamento e como ele conheceu Elis. A matéria foi capa da revista em 23 de dezembro de 1967 e traz diversas fotos do casamento. Confira a seguir alguns trechos do texto de Bôscoli:

 

Todos dizem Sim. Pois eu acho um simples sim muito pouco para decretar a quede de uma resistência tão longa quanto a minha. Por isso, na hora do casamento ataquei de "Perfeitamente". Pois é moçada, casei. Quando parati para a caçada a Elis, nem desconfiava do risco. Era de manhã muito cedo. Miele me avisara que Elis chegaria ao Rio. E disse: "Bicho, manda ver teu charme todo porque nossa carreira está em jogo. Se a baixinha não gostar do papo, já viu...nada feito na Tv Record. Porque lá é ela que manda e desmanda".

(...)

Quando ela apareceu como artista já veio pronta. O que ela dissesse cantando, seria a lei dos homens. E Elis então odiava coisinhas marítimas e diminutivas. Mesmo assim topei produzir, numa Boate o show de Elis Regina. E assisti nascer a maior cantora do Brasil. E também me assisti morrendo um pouco. Não importava. Combateria à sombra. Acontece que Elis, naquele tempo, muito criança e mal orientada, tinha iniciado sua carreira com a marca de uma péssima profissional. Quer dizer, de vez em quando se aproveitada do nosso contrato de boca para não cumprí-lo. Eu e Miele ordenamos que o nome de Elis fosse retirado do show. Daí nasceu um ódio mútuo, sincero e tenaz.

(...)

Sabem lá o que é guerrear com uma gaúcha? Pois eu entrei nessa. Acontece que as coisas não aconteceram como eu havia planejado e executado. Veio a gamação. Minha! Comecei a chegar cedo aos encontros extras de trabalho, Comecei a caprichar no físico, a ganhar dentes e a perder barriga. O resto foi o resto...Eu não vou contar . Nada de abrir o jogo.(...)Eu sempre chegava cedo ou tarde demais na vida delas. Com Elis aconteceu a minha hora de chegar na hora. As armas que lutei para chegar até Elis? Creio que foram a calma, a perseverança e o exercício do charme.

(...)

Eu acordei de mandato cassado. Os amigos apertando a mão da gente, champanha para o juiz, beijos da sogra, mamãe chorando e ela sussurrando, irônica e vitoriosa: " Um lobo na coleira que não janta nunca mais"



 Escrito por Danilo às 15h04
[   ] [ envie esta mensagem ]





 
Histórico
  13/01/2013 a 19/01/2013
  11/03/2012 a 17/03/2012
  05/02/2012 a 11/02/2012
  15/01/2012 a 21/01/2012
  14/03/2010 a 20/03/2010
  17/01/2010 a 23/01/2010
  10/01/2010 a 16/01/2010
  30/08/2009 a 05/09/2009
  18/01/2009 a 24/01/2009
  16/03/2008 a 22/03/2008
  24/02/2008 a 01/03/2008
  25/03/2007 a 31/03/2007
  11/03/2007 a 17/03/2007
  14/01/2007 a 20/01/2007
  31/12/2006 a 06/01/2007
  24/12/2006 a 30/12/2006
  17/12/2006 a 23/12/2006
  10/12/2006 a 16/12/2006
  19/11/2006 a 25/11/2006
  15/10/2006 a 21/10/2006
  10/09/2006 a 16/09/2006
  20/08/2006 a 26/08/2006
  24/07/2005 a 30/07/2005
  05/06/2005 a 11/06/2005
  10/04/2005 a 16/04/2005
  13/03/2005 a 19/03/2005
  30/01/2005 a 05/02/2005
  16/01/2005 a 22/01/2005
  02/01/2005 a 08/01/2005
  12/12/2004 a 18/12/2004
  24/10/2004 a 30/10/2004
  03/10/2004 a 09/10/2004
  19/09/2004 a 25/09/2004
  05/09/2004 a 11/09/2004
  29/08/2004 a 04/09/2004
  15/08/2004 a 21/08/2004
  08/08/2004 a 14/08/2004
  27/06/2004 a 03/07/2004
  23/05/2004 a 29/05/2004
  25/04/2004 a 01/05/2004
  04/04/2004 a 10/04/2004
  28/03/2004 a 03/04/2004
  21/03/2004 a 27/03/2004
  14/03/2004 a 20/03/2004
  07/03/2004 a 13/03/2004
  29/02/2004 a 06/03/2004
  15/02/2004 a 21/02/2004
  08/02/2004 a 14/02/2004
  01/02/2004 a 07/02/2004
  25/01/2004 a 31/01/2004
  18/01/2004 a 24/01/2004


Outros sites
  UOL
  Bastidores ZiriGuidum
  Literatura, Arte & Afins
  Sovaco de Cobra
Votação
  Dê uma nota para meu blog